Daqueles que não precisam de óculos

O que eu vi em você? 

Essa é fácil.. Eu te vi pela primeira vez naquela noite na praça, antes nosso primeiro dos muitos sorvetes que viriam e no meio do caminho pro filme que marcaria o começo da nossa história de amor. Te vi, sim, pela primeira vez sentado, de costas, na meia-luz de um poste... Porque olhar pra você eu já tinha olhado algumas vezes (ainda que meio sem perceber), mas naquele momento eu te vi e hesitei. Fiquei parada bem uns dez segundos antes da coragem me chutar na sua direção. 

Eu vi que tu era um moço muito do bonito e com um carinho enorme guardado no peito, lutando pra sair dali e repousar nos cabelos de alguém. Eu vi, naquele primeiro cheiro que tu me deu, que se existe céu na terra, é onde você está. Eu vi em todas as borboletas afoitas no meu estômago que o universo sempre prepara as melhores surpresas quando a gente menos espera.

E eu fui vendo, nos encontros, nas mensagens, nas músicas compartilhadas, nas confissões arrependidas, nas declarações inesperadas.... E vi todo seu jeito de me olhar, seu cuidar de mim, eu vi teu gostar crescendo de mãos dadas com o meu, seus carinhos me ninando, suas palavras tomando uma proporção gigantesca no meu dicionário. E vi você. Ali. Pra mim.

Você e eu e um amor desses leves e bonitos crescendo. E eu te vejo todos os dias. Te vejo diferente, te vejo melhor, te vejo amor.