Um ano por amor.

Vagalumes Cegos by Cícero on Grooveshark

O último mês do ano chegou e junto com ele aquela reflexão de clichê de todo fim de ano. Dois mil e doze foi o ano mais diferente que eu já vivi, tudo que aconteceu esse ano nunca tinha me acontecido antes. Nunca mesmo, foi um ano completamente inusitado, o início de um ciclo, talvez. Onze meses depois eu penso que tudo que aconteceu tinha que acontecer, do contrário eu seria uma outra brenda hoje. As pessoas que chegaram, entraram e ficaram... assim tinha que ser. As que chegaram, entraram e saíram... também. Umas voltaram, sejam bem-vindas de novo, sintam-se em casa. Por mais difícil que seja, ainda acredito que por trás de todas as coisas existe um propósito Divino.

Mas esse é aquele momento que só você entende o significado maior por trás de tudo isso... Ninguém vai dizer que foi por amor que você foi racional e pensou "com distância é mais difícil"; Ninguém vai dizer que foi por amor que você insistiu meses e meses na coisa mais incerta e inconstante que existiu; Ninguém vai dizer que foi por amor que você teve tanto medo de machucar que acabou machucando ainda mais; Vão dizer várias coisas, inventar outras maiores ainda... mas você eu sei de mim, você sabe de mim, ele também. Quem tem que saber, sabe.

Amei demais, amaram por mim, sofri mais ainda, sofreram por mim. Foram uns meses cheios de aprendizado, caras quebradas, corações partidos, laços reatados, perdões distribuídos... e, enfim, acredito que ele não poderia estar acabando de uma forma melhor. Renovo, paz e felicidade pra esse restinho de dias que ainda está por vir e um novo ano melhor ainda.


Um comentário:

Adna Martins disse...

Linda, pra nós todo o amor do mundo, amém.