Inconstância

Assim fica complicado, vê? O problema é que você me bagunça e tumultua tudo em mim. E me faz bembembem, mas ficar contigo desse jeito, te ter sem certeza que você é meu é só martírio. Eu nunca tive desprendimento suficiente pra ser assim, você sabe. Por algumas vezes eu quase esqueci desse monstrinho bruto e possessivo que se esconde em mim, mas eu não consigo aplicar o keep your expectations low, nem suporto essa coisa de não saber se devo ligar, se posso passar na sua casa, se eu tô incomodando. (...)

Eu quero saber de cor seus horários e te ligar até no meio da madrugada só pra te dizer oi - e pedir desculpas por ter te acordado, depois - porque eu sei que tenho autonomia pra isso. Eu não abro mão de certezas, ou fica ou vai embora. Ou quer ou não (me) quer. Se tem uma coisa que me tira do sério é inconstância. Odeio em caixa alta e letreiro vermelho piscante.

Você precisa de ver, um dia eu fico louca de saudade e vontade de se possível só ouvir sua voz me chamando e você me abraçando com o olhar, no outro eu tô respirando fundo me perguntando o porquê de você ter dito aquelas palavras, ou porque raios ainda não me ligou. E eu odeio sentir isso.

Então, vamos combinar uma coisa: Não vamos tentar formar amor na borda do prato fundo com a sopa de letrinhas. Não é assim que funciona, nenhuma barra deve ser forçada só pelo querer. Mas esquece isso, vem cá, vem.. deita aqui, me dá um abraço, me conta do seu dia. Como você tá, tudo certinho?

7 comentários:

Patrícia disse...

Pois é... a gente tenta ser forte, mas se rende! Esquece da gente... beijo

Vanessa disse...

Adorei, Brenda! No fundo a gente quer é ficar junto com quem amamos, mesmo não concordando com algumas coisas.

Pâmela Marques. disse...

Brenda,
Acaso a gente conversou em sonhos? Porque é exatamente o que está acontecendo comigo. Esse negócio de pisar em ovos, de não saber qual é o limite que a gente pode atravessar. Afff, o amor é uma coisa, né?

Um brasileiro disse...

oi. tudo bem com vc. estive aqui dando uma olhada. muito legal. apareça por la. abraços.

Maria disse...

Eu também não gosto de brincar na instabilidade. Tudo bem, eu sei, eu sei, que nada é definitivo. Mas poder tocar em alguém sem saber que nome ela tem para você, não é legal. É bom saber que ela está ali tanto quanto você.

um beijo, moça.

Rick disse...

Depois da cama fica tudo bem. E o amor é isso, sem nexo. Nada de pedir desculpas por sentir ele, e só sentir sabe.
Belo post, belo blog. Vou permanecer.
Bjws moça, até breve; Sem Guarda-Chuvas

disse...

A vida da gente é feita dessa inconstância, desse vai-e-vem. Mas ás vezes ela abre uma brecha, dá uma folguinha sabe? E aí sabemos que é o momento, de decisão, de certezas. De viver a vida.

beijoos.