Escala de cores

São três tipos de pessoas e de cores: vermelho, verde e azul. Essas são as cores primárias e, não diferente delas, existem as pessoas primárias.

Pessoas-vermelhas. Elas te esquentam, te aquecem quando preciso, mas queimam se você tenta se aproximar muito. Chamam a atenção, se exibem todos, viram fogo. E apagam, um tempo depois. Enquanto elas ainda estão vermelhas, vocês tomam café, cozinham juntos – nachos, lasanha, macarrão, jogam poker, assistem filmes enrolados debaixo do cobertor. Alguns abraços, alguns amassos, mas não passa daí. O que se ama aqui é a idealização, o tipo de relação que vocês possuem, não a relação em si. Você ama os bares freqüentados, os filmes assistidos e as muitas risadas juntos. Depois fica tudo incrivelmente entediante. Você faz questão de estar sempre perto, mas uma hora só restam cinzas.

O lema é "seja leve, leve, me leve, leve o coração". Acontece naturalmente, vê? Essas são as pessoas-verdes, aquelas que você sente que conhece a anos-luz, desde a infância, ou de vidas passadas e se pega pensando como-não-tinha-conhecido-antes. Desde então, independente de estudar na mesma faculdade, ou viver na mesma cidade, vai durar. Podem ficar separados por meses, anos, extintos de contatos por celular ou Facebook, mas o reencontro vai acontecer e, acredite, será sincero. Porque é assim que elas são... verdadeiras. Pessoas de verdade.

Elas são pedaços de nuvens que têm desenhos engraçados, as pessoas-azuis. Com elas – e apenas com essas pessoas – é que você consegue ser totalmente você. Da cor que for. Vocês podem se abraçar bêbados, dormirem abraçados e passar protetor solar um no outro sem estragarem as coisas. Podem sentir ciúmes do primeiro que tentar chegar mais perto - ou tão perto - quanto você, brigar cons.tan.te.men.te por causa de ciúmes e ainda acordar no dia seguinte com um desejo de “bom dia” sonolento. Acontecem beijinhos despretensiosos na boca, pés entrelaçados e várias e várias poesias inspiradas. Íris na íris, mão na mão e abraço de urso. É azul, é permitido acontecer.

É colorido e é bonito, é só chegar.

11 comentários:

Alexandre Vicente disse...

Oi Brenda,

Visito alguns blogs, mas fico um pouco entediado com tantas coisas que se dizem sobre amor e blá, blá, blá. Amor é legal, mas quando escrevemos somente sobre iso fica difícil não ser piegas.
Estou falando isso tudo porque adorei seu texto. Embora vc fale de amor (num segundo plano), vc direciona suas palavras para falar de pessoas. Pessoas de verdade, que quando pensamos na cor lembramos sempre de alguém.
Parabéns pelo texto.

Magda Albuquerque disse...

Brenda, sempre que venho aqui me sinto mais leve. Seus textos são sempre leves, mesmo que sejam profundos. Tem encanto nas palavras.

Obrigada pela leveza!

Um beijo!

ღα૨gѳђ ખ૯૨ท૯૮ઝܟ disse...

...e nao é q participar de um grupo restrito abre horizontes???

[do "blogueiros" e fico!]

Beijao

Vanessa disse...

E as cores talvez sejam a melhor forma de representar as pessoas mesmo! Lindo, Brenda! Suave, doce!
Beijos

Maya Quaresma disse...

Um dos poucos textos que me fizeram sorrir e me identificar, ao ler, esta semana.

Primeira vez que te visito, primeiro texto teu que leio, e senti uma sincronia tão boa. Um gosto incrível de ler um pouco mais.

Beijos!

Maya Quaresma

Vanessa Romão disse...

Eu espero pelas pessoas azuis.
Brenda, sua linda!

:*

Lucas disse...

É tão bonito ler isso! Faz lembrar muita coisa (principalmente o finalzinho. euheuheu) Essa é aquela ideia das pessoas cores de que falamos?

Chego à conclusão que não precisa ser vermelho-intenso vermelho-sangue para ser lembrado. O frio da cor não tem nada a ver com a cara do azul. Adorei o texto, azuli.


;**

Beatriz Flores disse...

amei, amei o texto!
é engraçado que a cada parágrafo do texto eu lembrava de alguém. muito bom mesmo! (:

Hosana Heitz disse...

amar é um elo
entre o azul
e o amarelo.

palavras lindas, com cheiro de estrelas...

Natália das Luzes disse...

que coisa linda! reconheci várias pessoas nessas cores! (:

Mik disse...

o amor em cores - e todas são válidas, certo?
lindo blog!
parabéns!