O que fica.

E finalmente vem a coragem de se aproximar e deixar o outro te aproximar. Porque, vezemquando, conseguimos atrair essas coisas que fazem bem pra gente. Por mais raro que essas coisas aconteçam, ainda acontecem. Os lindos sempre se vão para assombrar a memória, mas continuam lindos e sem machucar a gente.

Transparente feito um copo d'água, só que sem a tempestade. Dois signos de terra. Leve e doce, dos que eu estava precisando. Com carinhos, assim. Mão na mão. O vento traz o abraço pra perto e o perfume pra camisa. Me beija os olhos. Deposita ali um punhado de estrelas quentes que escorregam, se penduram nos meus cílios e fecham minhas pálpebras. Te beijo. 

E foi azul. Tal qual sua íris. Me fez bem.

3 comentários:

Lucas disse...

E agora?! O que eu faço com as gotinhas e o sorriso bobo no meu rosto?! E agora?!

E agora ficará guardado... um pontinho mais do que azul. Um ponto com os olhos ciganos e o mais belo narizinho que já vi. (ha!) E azul será. Tal qual a minha íris ao ver teu sorriso... e que me fez mais que bem.

Vanessa disse...

E deve ter sido lindo, como as tuas palavras, Brenda!
Beijos

Patrícia disse...

fica guardadinho, com carinho e cheiro de saudade. (: