Você vem?

Cansei das conversas jogadas fora, da indecisão que me confunde, do medo de errar que me persegue. Só cansei, sabe? De todo esse dramalhão desnecessário de novelinha mixuruca, das coisas sempre subentendidas. Quando tá tudo subentendido eu prefiro não entender do que entender errado. Gosto das coisas claras, preto no branco - às vezes no cinza, não vejo problema não.

O mau de vocês é ter medo de me machucar. Machuca, cacete. Me faz sentir decepção, dor, tristeza, mas me deixa sentir qualquer coisa além desse vazio dentro de mim mesma. Eu sou pequena assim, magrela assim, delicada assim, mas eu sou forte, sabia? Aqui em casa tem band-aid, álcool iodado, super bonder - se arranhar, sangrar ou quebrar eu conserto. De novo. Já tive que fazer tantas vezes.

Eu perdi o medo. O jeito é se arriscar, babe.

8 comentários:

Mariana Andrade disse...

é clichê, mas é mais do que verdade: se não dá certo, pelo menos a gente aprende e se fortalece.

Vanessa disse...

Precisamos arriscar sim, Bê!
Bons dias, querida.
Beijos

Patrícia disse...

Ai, eu também to cansada de sentir meus medos... e de não viver pra não me machucar... e de não viverem comigo para não me machucarem... ahhhh! vamos viver e ponto. Senão não tem graça. Até a dor é necessária.
Beijos!

gabs. disse...

vou pegar seu texto, e fazer um spam com abaixo-assinado: meu nome no topo da lista.

sentindo igualzinho.

Gislãne Gonçalves disse...

Afinal, quem não arrisca não petisca! rsrs

beijos
:)

Fernanda. disse...

Depois de tantas experiências agente aprende que tem sim que se machucar, tem sim que ouvir muito mais do que palavras medidas para não nos afetar. Nos mesmas reconhecemos isso... E cá entre nós, mesmo com toda a dor propensa a vir, é assim que precisamos. Beijos Brenda.

Tracy Ellen disse...

respeito quem me faz sentir, seja dor ou alegria, pelo menos me faz sentir!

Yohana Sanfer disse...

E como é boa essa coragem de arriscar...seguir o coração!