Consulta

- Onde dói? Perguntou o doutor.

Dói tudo, cada partezinha do meu corpo, cada membro, cada fio de cabelo. Dói nas pernas. Tá muito pesado pra carregar esse fardo sozinha. Tá tudo pesado demais. Essa cadeira também não é das melhores, né. Meus olhos também doem, sabe? Uma certa dificuldade de enxergar. Na verdade tá um pouco escuro, aqui. Você não acha? Ah, é. Minha barriga tem se revirado muito, esses dias. Uma coisa meio vazia, ou cheia de coisa que não devia estar ali. Queria conseguir vomitar. Nunca consegui enfiar o dedo na garganta pra forçar. Queria saber. Hm, onde mais? Meus pés, eles doem sempre que ando um pouco mais além do que o casa-ponto-de-ônibus, ou casa-shopping. Sempre que eu ando demais, procurando desnorteada pelo que não está ali, nem nunca esteve, ou esteve um dia e já se foi. Dói no coração. Esse eu estava guardando pro final. Principalmente nele. Que a cada sístole eu sinto uma dor fina atravessando o peito e com diástole o alívio repentino. Podia ter só sangue preenchendo ele. Mas, não... me inventaram de entupir até a tampa com sentimento. Agora já era. Dói e não para, Doutor.

- É só uma dor de cabeça muito forte que eu tenho sentido faz vários dias, Doutor. Só ela. Tomando um analgésico passa, não é?

8 comentários:

Ulli Uldiery disse...

É, talvez com o analgésico do tempo passe, ou então se torne uma overdose de amor. :S
Beijo bê.

Vanessa disse...

Muitas vezes o amor dói fisicamente, né? É bem assim, causa múltiplas dores físicas e também grandes reflexos de felicidade!
Beijos, querida

deia.s disse...

Caralho, que coisa linda!
É de sua autoria, não é?
Pois foi a melhor postagem que já vi aqui.

"Na verdade tá um pouco escurto, aqui."
"Tomando um analgésico passa, não é?"

Parabéns, de verdade! :)

http://amar-go.blogspot.com/

Mɑɑh disse...

- Lindo demais! *---*
queria muito que o meu não doesse dessa forma, mais doí e não adianta tentar se entupir de remédios porque essa dor, nem você tendo uma overdose como disse a menina ai em cima vai passar.

Parabéns flôr, ta lindo.
beiijos ;*

Luna disse...

Essas dores aí, não passam com remédio, só com tempo, às vezes nem tempo. Acho que a gente sente essas dores aí é pra sempre.

Clara disse...

Nossa, que martírio. Tudo no fundo tem um quê de escolha nossa, por mais que pensemos que o coração tem vida própria. Nós ansiamos por emoções e sentimentos, mesmo inconscientemente e sofrendo por isto, porque sem istes temperos a vida não tem a mínima essência.

Felipe Braga disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Patrícia disse...

ai, menina brenda, você sempre acha as palavras certas: não está ali, ou nunca esteve ou esteve um di e já se foi.