Decisão matinal

Perdi a manhã embaixo do edredom, abraçada com os travesseiros e preferindo passar mais um bocado de dias ali, sem que precisasse levantar pra vida. Nem uma boa noite de sono eu tive, dormi de mau jeito, acordei com dor no corpo, olhos miudinhos e olheiras absurdas.

Aí vocês se perguntam o porquê de eu estar narrando a minha manhã desanimada, mas é só pra chegar até quando eu abro o meu e-mail e me deparo com palavras lindas bordadas de esperança e doçura, daquelas que só a MF sabe escrever - e foi quem as fez.

E esse rascunho de mim as leu - sim, porque ando me desconhecendo muito e desconfio que essa coisa opaca respirando não sou eu. E elas, docesdocesdoces, ecoaram inside. Bocejei um punhado de versos desconexos, eles caíram bem aqui. Pra quem quiser ler e saber que a minha meninice não acaba tão fácil assim.

Eu não sei onde se instala o problema, teimo em não acreditar que seja em mim. Vai que um dia eu cedo. Só vim dizer que não deixarei o azul ser extraviado daqui de dentro, não permito que vire poeira, que se perca no meio dessa bagunça. Continuo aluada, sim senhor. E quero mais que tudo que o amor me amanheça todos os dias.

3 comentários:

Vanessa disse...

Acho que viciei sim no Cheiro de Estrelas.
Não deixe o azul virar pó, mesmo. Às vezes dá vontade de ir embora para Pasárgada, ou para um lugar ainda melhor.
Muito bom ler teus posts, Brenda querida.

Thaís. disse...

Brenda! Depois de muito tempo, volto a deixar-te um comentário em teu blog. Passei um tempo afastada da escrita, brigada com a inspiração e me sentindo como você se sente. Como se não fosse eu quem estava habitando esse corpo. Porém, essa fase passou. Tudo passa. Contigo também será assim. Não esquecerei de voltar aqui mais vezes.
Um grande beijo e um abraço apertado, @pequenatiss.

llq disse...

Possibly the most amazing blog that I read all year off the shoulder wedding dresses?!