Palavras cuspidas, um desabafo.

Se hoje eu choro, já nem sei mais o porquê. Não entendo tampouco os soluços que intercalam essas lágrimas mornas. Nem quentes, nem frias. Algum lugar intermediário onde não é tanto, nem tão pouco. Não sei onde fica. Mas tem alguém lá que eu conheço de vista. Nada profundo, nem por inteiro.

Estou estilhaçada. Cacos estrelares apagados pelos quatro cantos de mim. E o que posso fazer, se essa dor – ainda que quebrada – continua ardendo como chama acesa? Já faz um tempo que eu virei um rascunho do que quero ser, ou devia ser e não me permito. A coisa ficou punk.

Tenho andado aos trancos, tropeço em cada calçada mais elevada, sou deveras aluada e na minha tentativa frustrada de afastar aquilo que não me faz bem, minhas pernas vacilam e eu desabo. Me derramo. Ando arrastada por um instante, não gosto da sensação de ter falhado. Desanimo numa proporção assustadora, preciso da coragem de uma vida inteira para me erguer de novo.

Mas eu continuo. Com a minha meninice de sempre, sonhos leves e um coração extraviado que não tem previsão de volta.

8 comentários:

O alvitre disse...

Muy bien escrito. Adorei de verdade :)

Luciana Brito disse...

E eu me encontrei em algumas dessas palavras... de maneira diferente, talvez outro contexto, mas ainda assim me encontrei.

Beijo, Bê.

Martins disse...

ótimo texto, trecho preferido "Tenho andado aos trancos, tropeço em cada calçada mais elevada..." "se essa dor - ainda que quebrada - continua ardendo como chama acesa?" =O !

ticoético disse...

"Coração extraviado sem previsão de volta" é quase crime celestial,porém vejo que ainda tem a mente e na mente as palavras,espero que se vire e encontre logo o coração,pois de nada vale pensar se não podemos enfim,amar.

abraço e bom carnaval !

Lara disse...

Essa deve ser a semana das lágrimas e corações doloridos.

Má Midlej disse...

E por que não haveria de continuar, não é mesmo? :~

Isso passa, afinal, até as coisas boas passam que dirá essas daí. rs

:

Jay A. disse...

Que texto sincero. (Ao menos parece ser)
Admiro quem escreve assim, lindo Bê!

gabs. disse...

somos duas, três, quatro...