Everlasting love

Ele é desses que desembrulha o melhor sorriso todas as vezes que te encontra. Desses que te dá vontade de afundar no ninho do seu abraço e morar ali. Que assopra um punhado de pozinho azul nos seus olhos e te deixa cega. De amor. Desses que gosta de se esquecer em você. E eu me esqueço de pensar em outra coisa além dele. De que ele está ali e isso basta.

Ele é desses que consegue empequenar as tristezas do dia, independente de quantas foram. Que decifra o turbilhão de coisas confusas que você tem por dentro e que só de sussurrar que vai ficar tudo bem, tudo já fica escandalosamente doce. Desses cheio de singularidades. E pluralidades. E bonitezas em cada pedaço de si.

Ele é desses que não cabem em um sentimento apenas, é preciso deixá-lo vagar no seu interior e ocupar todos os espaços. Todos os cantos mais escuros e silenciosos. Desses que transbordam ternura, que eternizam palavras.

Ele é desses que me destranca, que me escreve em poesia. Que se escreve em poesia. Ele é desses que evaporam poesia ao caminhar. Ô, Deus, o que eu estou dizendo? Ele é a própria poesia, na sua mais admirável personificação.

Ele é desses que some sem aviso prévio e te deixa pensa pensando "Que raio aconteceu com ele?" com freqüência, mas volta sempre mais lindo. Ele é desses que manda cartas e economiza créditos pra te ligar no dia do aniversário.

Ele é desses. Desses que te ama infinito positivo. E te faz ser duplamente recíproca em tudotudotudo. Ele é desses e me faz ser dessas.

Um comentário:

Adna Martins disse...

Lembro que foi por esses dias
que me apaixonei por você, sua linda.

Não deixe de ser amor, não deixe de ter.