Coisas minhas e sem sentido (pt. II)

Mais coisas.
Sou irremediavelmente viciada em internet. (Shiu, não contem para a minha mãe). Tenho medo de ficar sozinha em casa. Ouço barulhos bizarros quando estou com medo. Odeio ter pesadelos. Sonhos bonitos deixam meu dia mais feliz. Receber mensagem de texto no celular me faz ir no céu e não voltar. Principalmente algumas.

Gosto de sorvete de menta. Nunca consigo tomar um milkshake inteiro. Perguntei se o Açaí era feito de banana, da primeira vez que eu provei. Como muita besteira. Falo muita besteira. Penso e sinto mais besteiras ainda. Faço drama em excesso por coisas que num dia parecem terríveis, mas no outro eu nem encontro motivos para ficar triste.

Corto o cabelo quando estou down, querendo uma mudança na vida. Cortei ele faz dois dias. Está parecendo o da Amélie Poulain. Quero mudança. Quero pessoas diferentes. Quero experiências novas. Quero muita coisa e não consigo nada. Nada está me fazendo rir, nesses últimos dias. Sou a pessoa mais fácil pra dar risada.

Meu sonho é trabalhar na edição de uma revista de moda. Eu queria ser estilista, mas já desisti da ideia. Ainda desenho alguns croquis. Os desenhos são horríveis e estão espalhados por Recife e Salvador. Quando eu trabalhar e ganhar dinheiro, irei economizar para visitar os amigos bonitos que moram longe. Me esperem.

Esse texto e o anterior não têm poesia nenhuma, nem uma palavra bonita sequer. Seco. É pra falar de mim, mesmo que ninguém se interesse em ler. Agora que já fiz, prometo voltar aos floreios e mimimi's de sempre.

7 comentários:

Tainá disse...

Gostei de ler você, hija mía. Mil besitos! :*

ticoético disse...

De quando em vez é bom algo assim,seco,bonito enfim,fique claro que desejo um bem pra ti,sorria.
abraço !

Jaynne Santos disse...

Te um questionário pra você lá no meu blog.
Passa lá quando puder.
Beijos

Carla Dias disse...

Brenda, você é uma dos tipos de pessoas que eu vejo como um mistério. Adoro mistérios.
Sabe aquela música? "E que você descubra que rir é bom, mas que rir de tudo é desespero".
Então, eu não sei também, mas veio na minha cabeça enquanto lia o texto, talvez você saiba o por quê, senão, deixa pra lá. rs
Achei lindíssimo seu cabelo e quando estiver trabalhando na edição de revista de moda, diga-me o nome, vou comprar só por que terá seu nome lá. Linda.

Beijo ;**

Tays Esquivel disse...

Achei incríveis, ambos os textos. Me identifiquei com muitas frases e floreios deles.
E quem disse que não tem palavra bonita? Quem disse que não tem poesia? Mal sabemos nós que a poesia na verdade é tudo que nós somos. Por que se não fossemos nós, os corajosos que metem a cara pra escrever coisinhas cheias de mimimi's, do que seria a poesia? Mal sabemos nós que a poesia é mesmo o que nós somos e pronto.

Um cheiro, Brenda.

Vagner da Silva Amaral disse...

seu blog eh realmente interessante... gosto muito de ler e, por acaso, o achei [ aliás, um belo achado, diga-se de passagem ]... passei a última hora lendo seus textos e esse daqui foi um dos meus preferidos, sem dúvida.

um texto bonito n precisa necessariamente de palavras bonitas... acho q mais bela poesia reside justamente nas coisas simples, no cotidiano, naquilo que passa despercebido, na maioria das vezes, pelos nossos olhos, enfim, reside na essência de cada um.

e essa eh vc.

de forma tão simples e tão profunda [ contraditório, eu sei ], vc se descreveu, Brenda... isso eh fantástico..

e pra finalizar, fico com as palavras do poeta:

(...)

Direis agora! "Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?"

E eu vos direi: "Amai para entendê-las:
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas".

[ Olavo Bilac ]

:)

Patrícia disse...

fazia um tempo que eu não aparecia para renovar meus elogios, ein. continuam os mesmos, não menores por isso, rs. sempre terei croquis para matar as saudades, HAHA.