A noite é segura

Eu tenho uns pensamentos-loucos-suicidas, vez em quando. Neles dá vontade de abandonar tudo o que me faz bem - por algum impulso de repelir coisas boas, ou só por medo, mesmo. O medo me tem sido tão companheiro durante os dias cinzas. Só durante os dias, já que nas noites tudo fica azul - mesmo que escuro - e cheio de pontinhos brilhantes no céu. 

As estrelas carregam tanta esperança na sua luz que logo eu deixo de lado os pensamentos matinais para dar lugar aos noturnos. Devaneios da madrugada. E, no meio dessa confusão de turnos e feelings, aparece você: Carregando a mala que transborda uma fé imensa e sonhos incontáveis. Tudo fica lindo demais.

Eu ouço a minha fraqueza gritar, implorar para que eu não seja covarde e fuja. Seria impossível prosseguir carregando uma culpa tão suja, eu percebo. Coisas bonitas vêm acompanhadas de dores finas. Elas se chamam saudade.

12 comentários:

Luciana Brito disse...

Minha segurança se perdeu em algum intervalo entre o dia e a noite e, por enquanto, ela não me segura completamente.

Gostei desse texto, não sei explicar. Melhor calar.

beijo, Bê.

Vanessa disse...

Lindo. Fiquei mais uma vez emocionada com um texto teu.
Gosto muito de acompanhar teu blog e de ler teu twitter. Escreva mais e mais, pois faz muito bem para quem te lê.

Beijo "estrelado".

Erica Ferro disse...

O medo se apossou de mim nas últimas horas. Um medo muito grande mesmo. Tenho medo da sentença final.

No mais, belo texto. Bonito em sua poesia triste.

Tainá Facó disse...

E saudade dói.

Felipe Braga disse...

Coisa mais linda!

Exatamente como me sinto. Com o peito inundado de saudade. Mas a saudade que sinto, eu sei, é de alguém que está aqui dentro de mim. Basta eu olhar pra dentro que sinto. Basta eu olhar pro céu que as estrelas escrevem teu nome.

Beijo.

Marcelo Zaniolo disse...

Acho que a saudade é um dos temas mais bonitos sobre o qual alguém pode escrever.

Até porque, ao menos eu penso assim, ela é ao mesmo tempo ruim e boa: ela dói e machuca, mas por outro lado representa algo belo, o sentimento de alegria, a lembrança, momentos felizes...

Um beijo =D

Marcelo Zaniolo disse...

Ah!

E faltou dizer que o céu está para a saudade assim como o arroz está para o feijão. Só não me pergunte o que são as estrelas nessa comparação! Haha

Beijo de novo!

Minne disse...

Que texto lindo ! Me vi em alguns pedacinhos de frases, junção de palavras. E a saudade é algo de que podemos falar tanto, de tantos modos e até com o silêncio. Voltarei mais vezes Brenda !

ticoético disse...

Se pararmos pra pensar bem,as estrelas são a mais pura demonstração de como a esperança é a última que morre já que,muitas delas,mesmo mortas anos-luzes atrás,ainda emanam suas luzes vistas aqui da terra.
E a saudade,ah,a saudade poderia ainda completar com vários ditados ou versos clichês sobre ela,mas sei que,após escrever tal maravilha nada pura,porém bela,sabe muito bem o que é a saudade.
abraço e um ótimo ano.

Má Midlej disse...

Eu estou apaixonada pela ultima frase do seu texto, sabia?
''Coisas Bonitas vêm acompanhadas de dores finas''
E num é que é?
TO-DAS ,sem nem uma mízera exceção pra que eu possa contestá-la. Acabou de criar um postulado ein dona Brenda F. Matos? CLAP CLAP (palmas, tá ligada?)

hahahahaha

Ah sim, meu comentário sobre o texto todo resume-se a: CLAP CLAP CLAP CLAP... (uma salva de palmas, ENTENDE?)

beijo.

Suzi Montenegro disse...

.

Olá, Brenda!

Encontrei teu blog entre os visitantes, vi que você me segue. Não consigo seguir a todos que me seguem por não encontrar o link no perfil. Entrei aqui e simplesmente fiquei encantada com teus textos.

Belíssimo teu blog! Parabéns!

Estarei agora sempre por aqui.

Volto e volto.

Beijos

.
.

Stella Rodrigues disse...

e essa insegurança que nos afasta da felicidade. Alguém por fazer crie uma vacina contra ela. E que suma toda essa insegurança e de espaço a vontade e a possibilidade de ser feliz.