Escrever vai além do que se lê

Quando o coração não aguenta a enchente de sentimentos, a chuva cai pelos olhos e, não bastando, transforma-se em palavras. Escrevo essas pequenas que são carregadas de emoção e pinceladas de poesia, enquanto elas dançam e rodopiam embaladas pelo som das minhas batidas aceleradas. Uma taquicardia para cada frase.

Pinta um orgulho-bobo-bonito quando um ou outro diz que elas são lindas. Eu acho elas lindas. Elas próprias se acham lindas, essas orgulhosas. E são. Lindas, tristes, saudosas, dolorosas, alegres, angustiantes, aflitas, desesperadas, feias. São feias de doer no osso. Ri-dí-cu-las. São tudo isso e o que mais quem lê quiser que elas sejam.

Palavras me entregam de bandeja a qualquer um, não há como negar. Disso eu não posso reclamar, pois escolhi assim. Só escrevo o que sinto, e da maneira mais boba possível. Elas cheiram a estrelas e tem sabor de morango mergulhado no leite condensado.

Em mim, escrever é muito mais do que só escrever. 
Escrever é mais eu, do que eu mesma.

10 comentários:

Brenda Matos disse...

Obrigada pela inspiração, Tays. <3

Má Midlej disse...

Escrever somos nós, né? E gostarem é consequencia.
Aliás, falando em gostar, eu não já disse que você anda mais e melhor, ultimamente? Tá gostoso de ler, essa menina... tsc,tsc.. tô dizendo..
rsrs

:D
Amo suas palavras. POIZÉ

Tiago Moralles disse...

O texto é um exercício não só de quem escreve, mas também de quem lê.

marinaCavalcante disse...

E certa vez Fernando Pessoa soltou:

"Eu não escrevo em português. Escrevo eu mesmo."

=]

Tainá disse...

Sua cara. Adorei. :*

Tays Esquivel disse...

Ah Brenda, que lindo isso. Me senti até sem graça com tamanho elogio que foi esse texto, mesmo que ninguém o enxergue.
Fico muito feliz em ver alguém que utiliza tão bem a escrita, como você. Já deves imaginar o quanto de admiro.
Continue utilizando as frases bobinhas que eu falo o quanto precisar, por mais bobas que elas realmente sejam. Fico muito agradecida por ter feito um tantinho de parte disso. Obrigada.
E parabéns, sempre e sempre, linda.

Stella Rodrigues disse...

Poxa escrevi umn comentario muito lindo, e não salvou. RAM, blog feio.



Então...

Escrever é muito mais para quem ler, cada um se sente diferente quando as palavras tocam aos olhos e é o coração quem sente. Lindo Brenda :*

Luciana Brito disse...

É impossível não deixamos um pouco (ou muito, nunca se sabe) de nós no que escrevemos. É quase como respirar, fluimos nas palavras e quando vemos, viramos um texto inteiro.

"Escrever é mais eu, do que eu mesma"
Isso me fez pensar...


Beijo, Bê!

Maria Fernanda Probst disse...

Feliz de quem consegue torcer os sentimentos em linhas tão bonitas.

Eu te adimiro, doce.

Jaya Magalhães disse...

Eu sinto tudo. O cheiro, inclusive. E acho linda a maneira como você se reveste delas. Como elas pintam você. Sascoisa todas, sabe?

Beijozão, brodá!