Poesia de dor e amor

Escrever é a arte de vomitar os sentimentos em formas de palavras; É esvaziar-se das emoções e carregar cada pequena letra delas; É se expor entre as linhas. Eis aqui alguém que exercita essa arte.

Há dias nos quais a poesia brota delicadamente do peito, formando palavras leves e sutis. Noutros, ela rasga tudo por dentro até conseguir sair. Doloroso. Ora doce, ora amarga. Poesia de dor, poesia de amor - qual é mesmo a diferença?

Se a dor da ausência me corrói, sou linda e saudosa. Se fantasio as alegrias, sou cheia de esperança e fé. Se o amor me cansou, sou profunda de se ler. Quer dizer que é assim? A minha dor é bonita? Carrega ela com você, então.

Se eu escrevo coisas lindas? Os outros que dirão.
Mas não adianta nada ser lindo.

5 comentários:

Mariana Andrade. disse...

só adiantaria de verdade se fosse sentido, não é?

Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ NARA CABRAL Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ disse...

O Dito dizia que o certo era a gente estar sempre brabo de alegre,
alegre por dentro, mesmo com tudo de ruim que acontecesse,
alegre nas profundas.

[João Guimarães Rosa]
retirei do blog da sil
beijos

[João Guimarães Rosa]

Stella Rodrigues disse...

devolva minha insipração , sim? que inveja disso tudo aqui (:
A beleza esta nas cosas simples, digamos. que saudade de escrever

Erica Vittorazzi disse...

Ah, Brenda, você escreve lindamente. Se quiser, posso dividir a tua dor.


Beijos

Tays Esquivel disse...

Eu tenho pra mim que escrever não pode ser só bonito, e sim tem muito mais relação com sentir a mesma coisa que o escritor. Porém, você continua sendo fantástica, Bê, pelo modo como me faz sentir sua alegria e sua dor.
Obrigada por suas palavras e textos lindos.

Beijo.