Pesadelo de realidade

Aquele dia tinha um ar surreal. O sol brilhava sobre a minha cabeça, deixando todo o corpo quente. A rua estava vazia, sem um pé de gente nela. Para onde haviam ido todos, nesse meu sonho maluco? As poucas silhuetas que eu consegui ver estavam distorcidas. Senti certa gastura ao olhá-las.

Uma sensação de enjôo me invadiu, era um aviso. Saia daí, as coisas irão terminar mal - ela parecia querer dizer. Não dei importância. Era só mais um daqueles sonhos bizarros que eu tinha freqüentemente, o que poderia acontecer de tão ruim?

Perdi os pensamentos em um longo devaneio, ficando totalmente aérea do ambiente. Voltei assustada e... as coisas haviam ficado estranhas. Não lembro das palavras que sussurravam para mim, estava confusa. Corre enquanto é tempo - dizia aquela voz vinda do inconsciente que ninguém nunca parece ouvir, mas no fundo sabe que sempre devia ter obedecido.

Os limites haviam se perdido. Eu, na verdade, havia me perdido de mim. Ali, eu descobri: Não era sonho, era realidade. Tarde demais.

E terminou. Não mal, mas péssimo.

3 comentários:

Má Midlej disse...

Ei, moça linda. Senta aqui pra eu te contar uma coisa: as coisas, acontecem! :)
Eu sei, não é segredo pra você, mas eu imagino o turbilhão de sensações numa hora como essa. E acontece, no fundo, no fundo, que tudo tem um gigantesco proposito que vai além de convicções, princípios, religiões e políticas. ;)

Nem sempre é como imaginávamos que seria. Nem sempre é pra deixar de ser imaginado. Sei muito bem o que é cair nessa terrível armadilha de nós mesmos. Tentar lutar contra o que queremos e não podemos é massacrante, mas quer saber, menina?
Quando você estiver cansada dessas batalhas, pode descansar aqui do meu lado. Eu lhe ofereço esse ombro velho e gasto pra você chorar ou rir. EU TO CONTIGO PRA TUUUDO, caramba!
A gente so percebe isso numa hora como essas.


E, ei! Não terminou nada de péssimo! :(

Tainá disse...

Bê, minha filha. Isso é dom. É presente. É amor de Papai. Continue simplesmente permitindo que Ele te use. Amo você, sua bonita! :* (e incentivo MESMO a carreira! haha)

Eu, Thiago Assis disse...

essa mistura sonho/realidade, o que é real e o que não é sempre dá bons textos qnd se sabe escrever.. foi o caso :)