De alguém que nunca amou

"É coisa que se ensine o amor? Creio que não. Ela crê que sim."
(Amar, verbo intransitivo - Mário de Andrade)


O amor virou matéria escolar, para se ensinar? Ah, se assim fosse... Meu coração iria direto para a recuperação final. Não se ensina a amar, nem se aprende tampouco. Não se nasce sabendo – uma pena, eu lamento –, nem se morre sem senti-lo.

Amor se descobre. Quando menos se espera, ele desperta e inunda o ser por inteiro. Pedaço por pedaço, membro por membro, neurônio por neurônio; Cada gota de sangue é revestida e todos os batimentos cardíacos são impulsionados por ele. O bendito. O amor.

Já sabes, então, como acontece o sentimento. Acalma-te, pois esse dia há de chegar. Será em um verão. Sol, praia, água de côco, bronzeador e acarajé. Ou no inverno, porque não? Chuva, filmes, cobertor, meia e chocolate quente. A primavera virá independente da estação.

6 comentários:

Erica Ferro disse...

Espero que chegue mesmo.
Nunca mais comi acarajé.
Eu quero, ó. É tão gostoso! *----*

=**

Lindo texto.

so sad disse...

não se ensina,não se aprende, mas se tem a capacidade de amar, ou não...
muitas vezes não se tem...
beijos!

Cacheada disse...

uM ACARAJÉ?
és daqui da Bahia?
ioJAOIjaoiaoiAIOa
Tem acarajé em outros lugares? :O

olha...
Eu sei que o amor ensina!

Luciana Brito disse...

O único problema é a paciência para esperá-lo... mas que ele chega, ah, chega sim!

Bonito texto, Bê!
Beijo.

Vanessa Romão disse...

E pode ser que vá embora com a chegada do inverno. Ou não.


:*

Má Midlej disse...

Seu melhor, sem dúvida.
E você a cada dia me mostra que começa a entender muito mais que muita gente desse sentimento sem definição.
Foi bom de ler, maravilhoso!
*--*
Sério, to apaixonada pela idéia de encontrar o amor. E de novo, e de novo.
Porque ele vive indo e vindo e trazendo coisas pra nos ocupar em sua ausencia. Se é que você me entende.

Beijo.