Eu não entendo

Por que você não disse que viria?
Logo agora que eu tinha
Me curado das feridas
Que você abriu quando se foi
Por que chegou sem avisar?
Eu queria tempo pra me preparar
Com a roupa limpa, a casa em ordem
E um sorriso falso pra enganar

Eu não entendo a sua volta
Não entendo a sua indecisão
Num dia sou seu grande amor
No outro dia não.
(Eu Não Entendo - Nenhum de Nós)


Demorou. Levou tempo. Uma quantidade absurda dele até que a ferida se cicatrizasse. Os dias se tornaram monocromáticos. Em sua maior parte preto&branco, em outros cinza e mesmo quando a alegria era intensa ele só virava um azul-claro-apagado.
Orando para que o tempo fizesse o papel que dizem ser dele, continuei atropelando os dias. Nada de viver, era tentar sobreviver. Só na ilusão de que tudo não passara de um sonho dos mais lindos, mas que logo – mesmo que relutante – eu esqueceria.
Segui ignorando, abstraindo, esquecendo. Aos poucos. Um pedacinho de cada vez, até que só restasse a imagem embaçada com vultos que diziam coisas incompreensíveis. Bastava. A lembrança havia se tornado distante e de tão distante já não se podia distinguir. Era suficiente.
As cores haviam voltado, em sua maioria. Todas com força, em exceção do vermelho. Foi quando você voltou. Chocou-me. Lembrei com detalhes do filme que havia se tornado embaçado e que agora estava em cores ardentes. Uma pintura esbanjando vermelho-sangue. Desde o rubor nas bochechas até os corações que flutuavam por cima das duas cabeças. Nossas.
Mas eu não podia, ou podia mas não devia, ou podia mas não queria ou não sabia mais como se parava ou voltava atrás, eu tinha que continuar... Principalmente porque você estava ali, na minha frente e não foi sequer capaz de mandar uma carta ou fazer um telefonema avisando que viria.
Apareceu e levou ao chão o muro frágil que eu havia construído por todos aqueles dias, meses e estações. Procurei, no meu semblante perplexo, um sorriso – daqueles que sempre temos guardados para enganar sabe-lá-quem quando é preciso. Achei. Sorri desconcertada e desde então questiono a sua volta.