Susto

Assustei-me. Nao percebi a dimensao que os teus cavalheirismos haviam conquistado. É cedo para qualquer concretizaçao. Deixa assim indefinido, como está. Que há de ser o que quiser. Porque a pressa só atropela o que virá a acontecer.
Sei que no lugar da minha garganta, agora existe um nó. Ou uma junçao de vários deles, amarrados entre si. Um, dois, tres, quatro nós. Eu queria gritar e expulsar de mim o que estava entalado, mas nao conseguia.
Continuava assustada. E agora, só piorava. Os nós iam desmanchando-se pouco a pouco e me devolvendo a fala e a respiraçao. Compreendi o que antes estava invertido - para mim.
Entardeci. Procurei em meio à noite e nao achei. Onde está o meu vagalume?

12 comentários:

Erica Ferro disse...

Se apagou?

;*

Amanda • disse...

Oi amiga.
o q se faz qdo parece q a inspiração, antes infinita, parece desaparecida!?

Mariana Andrade. disse...

"Deixa assim indefinido, como está. Que há de ser o que quiser. Porque a pressa só atropela o que virá a acontecer."

bom, só isso que eu tenho a dizer.

Tays Esquivel disse...

Queria saber onde está o meu também.

Beijo, Bê.

Charlie B. disse...

Talvez o vagalume esteja cansado de piscar.. e quanto aos nós, hum... engasga né? Mas vai na geladeira e toma uma coca bem mega gelada, se não resolver, ao menos você tentou fazer parar de doer.
Beijo,
Charlie B.

gabriela m. disse...

ele foi dar uma volta, visitar amigos antigos que há muito não via. se aperreie não, ele já já volta :)

Amanda disse...

Adorei amor,
eu resolvi voltar com o meu blog o profeciaceletina
da uma passadinha lá (:

Pensamento e Fumaça disse...

Brenda, o que dizer de teus textos?? Acende luz tão iluminada dentro de mim...Tem de fato cheiro e gosto de estrela....
Quero andar por teu chão e quem sabe tomar um chá contigo!!
Obrigado por também completar meus dias!! fazer deles fibra de poemas todos os dias!
Bjo enorme!
Mell

Ceres disse...

Que coisa boa para assustar.

Original, diferente, bom.

Muito bom ;D

Francimare Araújo disse...

Lindo, doce..

Beijos!

Ná Lima disse...

Me lembrou uma música Vagalume do Pato Fu que gosto muito;

"vem e acende a tua luz perto de mim, estrelinha do meu quintal me deixa ser teu céu pra sempre..."

Bruna Uliana. disse...

Preciso dizer que amei? Você escreve com uma suavidade que é típica dos meus textos favoritos. (:
Beijos, querida! :*