Os três culpados

Ah, por favor, não culpe só a mim! Somos os três culpados. E dos três, eu sou a maior, confesso.
Te escrevo, sim. Sonho as lembranças, ainda frescas e claras. Deixo as lágrimas subirem aos olhos, vez em vez. E sempre penso em ti. Já é coisa inconsciente, essa de o fazer. Ainda que, não com menos sentimento.
Peço-te desculpas, então. A todos vocês, que não entendem a razão. É o amor. Vem como uma onda que invade, sem pedir licença. Vês? É forte, e não pretende ir embora. Nem eu o quero longe de mim. É bonito, ainda sem te ter. Deixa tudo doce, aqui dentro. Sinto-me inundada das tuas cores. O branco, da tua pele. O amarelo, dos teus cabelos. O azul, dos teus olhos. Um arco-íris, saindo de mim.
E tem também o medo, sabia? O medo de te perder, dentro de mim. Medo do tempo, querendo fazer estragos, ir levando aos poucos, as tuas lembranças. Vejo uma rosa, e te tenho ali. Nas rosas brancas, nas rosas rosas. Na suavidade e leveza, que elas me passam. Me lembram. A tua simpatia e doçura está espalhada em cada canto, desse mundo. Nas esquinas, na areia, nas ondas do mar. Exergo-te. E nos teus amados, eu te encontro. Entre abraços, sorrisos e pensamentos, te sinto.
Essencialmente, naqueles três corações. Eles te carregam nos olhos. Carregam a tua dor, que arde. Quando os contemplo, a minha incerteza se esquece de existir e então, eu entendo que é impossível te perder.

15 comentários:

Tia Augusta disse...

vc se sente culpada pela necessidade dos outros.

Marcel Hartmann disse...

adorei o ter medo de te perder dentro de mim. adoro essas frases assim.

marinaCavalcante disse...

Você escreve bem demais!
Muito bonito.

E, ainda mais, essa parte:
"É forte, e não pretende ir embora. Nem eu o quero longe de mim. É bonito, ainda sem te ter. Deixa tudo doce, aqui dentro."

Li um pouco de mim. =)

Bjos, abraços e te espero lá no meu blog! ;*

Marie Raya disse...

Indescritível. Simplesmente, amei.
Adoro ler seus textos :*

ticoético disse...

você me parece intensa e impulsiva,gosto de pessoas assim,enfim,belo texto.
abraço!

Joyce Carolini. disse...

"Sinto-me inundada das tuas cores. O branco, da tua pele. O amarelo, dos teus cabelos. O azul, dos teus olhos. Um arco-íris, saindo de mim".

Transbordou doçuras, moça.

Beijos pra ti, Brenda!

Caah disse...

Brenda, você escreve bem pra caramba, por isso eu deixei um selinho para você lá no meu blog. Depois passa lá e pega. Kisses :*'

Larissa disse...

Não os culpe, eles ainda não sabem o quão é difícil amar, eles apenas sentem e nós sofremos.
O amor tem invadido os corações de muitas blogueiras ultimamente, rs. Sempre doce.

Um beijo.

Luh* disse...

o que será ''amor''?! as vezes me pergunto isso.
beijos

Eu, Thiago Assis disse...

mas fica atenta, pois por mais que pareça impossivel perder, todo esse medo e toda essa explosão pode surgir por um outro alguem, e é bom não perder a chance. =]

Tays Esquivel disse...

Você escreve tão perfeitamente e profundamente bem, que me sinto inevitavelmente envolvida.
E eu entendo tudo isso.
Tenho esse medo que você tem, da mesma forma. Igualzinho. Sem tirar nem por. Incluzive, no mesmo contexto.
Só que quando esse alguém faz falta de verdade, ou quando você ama esse alguém de verdade, ele nunca vai embora.
Por mais que as nuvens apareçam um dia, o "raio de sol" continua brilhando atrás deles. Passando por uma brecha ou outra.
Fique bem, Brenda.

Um beijo.

Tiago Fagner disse...

Uma narrativa linda moça, ganhou mais um fã!
Bjuu

Mi, in the sky: disse...

nada bom pode sair do 'medo', ha tempos que tento me livrar dele. vai e vem... e quando vem, deixa feridas. espero que ele não volte pra te atormentar.

beijinho, B. : *

geisiane disse...

"Quando os contemplo, a minha incerteza se esquece de existir e então, eu entendo que é impossível te perder."
Mais uma "fã", prefiro dizer, admiradora.
Parabéns pelo blog.

Charlie B. disse...

" É bonito, ainda sem te ter. Deixa tudo doce, aqui dentro. Sinto-me inundada das tuas cores "

Amor .. amor... coisa louca que deixa a gente lesado e sedento de um beijo. Não sei o que fazer, se amar ou não, só sei que estou carente aqui. beijo,

Charlie B.