Não amo ninguém.

“Se todo alguém que ama, ama pra ser correspondido.
Se todo alguém que eu amo é como amar a lua inacessível,
é que eu não amo ninguém. Não amo ninguém.
Eu não amo ninguém, parece incrível.
Não amo ninguém e é só amor que eu respiro" -
(Não amo ninguém - Cazuza)

Meu coração chora, por não amar ninguém. É um vazio, que invade, de repente. Entra, assim, sem pedir licença. Mal educado! Bagunça tudo. Deixa os sentimentos jogados no chão, uma verdadeira confusão. Machuca, dói. Me ajoelho, então, para tentar ajeitar toda aquela bagunça. É quando vejo todos aqueles sentimentos... Alguns dos quais, eu já havia me esquecido.
Um amor mal-passado. Uma dedicação incansável. Uma saudade insaciável. E.. tantos outros, que saíram do potinho em que estavam e transbordaram. Misturaram-se. E, percebi, não sei mais separá-los. Se tornaram um só, todos aqueles fragmentos. Se entrelaçaram, tal que só o mais forte sentimento seria capaz de separá-los, e colocar tudo em ordem, por aqui.
E eis o sentimento que eu não tenho em mim. O amor. Esse tal, sem o qual não vivo. Mas, não sinto. Suspiro à toa, enquanto fantasio. Mas, falar de amor não é amar. Sorte a minha, se tivesse alguém com quem partilhar esse sentimento.

Desculpe, mas não amo ninguém.

Postagem coletiva da semana.

14 comentários:

Brenda Matos disse...

E ninguém me ama, também.

Dandara disse...

tô achando bonito que só isso, essa postagem coletiva sobre dandara aqui, involuntária.

Charlie B. disse...

Ai ai, eu tinha algo bonito, um amor, sabe, e eu também não amava ninguém, depois amei, e desamei, e agora volto a não amar ninguém. =/

beijo,

Charlie B.

ticoético disse...

Nossa,quem diria que algo sobre o desamor poderia ser tão lindo,gostei muito,enfim,belo.abraço !

R disse...

já tive um amor, mas com ele eu aprendi só uma coisa: a não ter amores; e talvez por isso eu só ame de verdade quem sei que me ama acima de todas as coisas, e meu cachorro of course (:

Luana Gabriela disse...

Bê, curti o texto. E ainda não conhecia seu blog, gostei também!

bjos

Eu, Thiago Assis disse...

e viver na indiferença pode nem ser tão ruim assim...

Erica Vittorazzi disse...

Que saudade de ler coisas assim. Falar de amor, sim, é amar um pouquinho...

disse...

ah, falar de amor é amar a idéia, sempre digo isso. E por amar a idéia e querer tanto amor, a gente ama, nem que seja um pouco mesmo..

Mas é tão ruim quando não amamos ninguém. Assim, certo. Do tipo ''Amo fulado, com certeza'' Dói, né? DÓI essa busca, essa dúvida. E é tão grande a confusão que quando a gente começar a amar. não vai acreditar. nem aceitar. pelo menos, é o que eu acho.


Bê, nao é puxa-saquismo não, mas o teu foi o mais fofo de todos da postagem coletiva.
ahahahahaha

Patrícia disse...

comecei a ter as mesmas dúvidas, vê, e desde então não consigo parar de perguntar: endureci?

Lucas disse...

Não precisa pedir desculpas por isso: PARADOXOS...

disse...

aa, migrei pra cá tbm. Lindooo texto, "Uma dedicação incansável". É sempre fato!!
Beijoos.

Maria disse...

O que fazes, ó minh’alma?
Coração, por que te agitas?
Coração, por que palpitas?
Por que palpitas em vão?
Se aquele que tanto adoras
Te despreza, como ingrato,
Coração sê mais sensato,
Busca outro coração!

(Laurindo Rabelo)

Deixa ele, ele há de encontrar alguém.

^^

disse...

Ola, vc eh uma das escritoras do reticencio-me, certo? eu era seguidora, mas nao consigo mais visualizar o blog, postei aqui, porque nao lembrei do teu e-mail
=P Beijos